Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

Howard Gardner - “Não dou a mínima para a inteligência”

Para o psicólogo americano, o que vale é o que você faz de relevante com suas habilidades mentaisHoward Gardner sacudiu o conceito de genialidade com a proposta de que existem vários tipos de inteligência, além daquela medida pelos testes de Q.I. Seu primeiro livro de impacto, publicado em 1983, propunha sete tipos de habilidade mental, que incluíam dotes artísticos, habilidades esportivas e até capacidade emocional. Mas Gardner vem incluindo outras categorias de mentes brilhantes, como explica a seguir.ENTREVISTA – HOWARD GARDNERQUEM É Psicólogo americano da Universidade Harvard, de 66 anos, ficou conhecido pela teoria das inteligências múltiplasO QUE PUBLICOUSeu livro mais famoso, Frames of mind (na tradução do inglês Estruturas da mente), foi lançado em 1983HABILIDADES MÚLTIPLASAos 13 anos, era um excelente pianista e chegou a considerar uma carreira musical ÉPOCA – O que todos os tipos de inteligência têm em comum? Howard Gardner – Uma categoria de inteligência pode ser parcialmen…

Bullying aumenta chances de criança ter comportamento psicótico

Sintomas psicóticos podem ser seqüelas do bullyingReceber xingamentos na escola, apelidos ou outros tipos de ações que as crianças enfrentam na escola podem trazer consequências sérias ao desenvolvimento da personalidade. As vítimas do chamado bullying têm o dobro de chances de desenvolver comportamento psicótico no início da adolescência. O dado é resultado de uma pesquisa da Universidade de Warwick, na Inglaterra. Se a criança é exposta a situações de constrangimento e coerção por um longo período, o risco aumenta em até quatro vezes. O estudo acompanhou mais de seis mil crianças do nascimento até a idade de 13 anos, monitoradas ano a ano (a partir dos sete anos) por meio de entrevistas e testes psicológicos, além de questionários respondidos pelos pais. Aos 13 anos, os participantes do levantamento foram entrevistados para a verificação de qualquer sintoma psicótico, como alucinações, manias de perseguição ou pensamentos bizarros. "A pesquisa mostrou que ser vitimizado pode af…

Algumas crianças podem se livrar do autismo

Pelo menos 10% das crianças com autismo superam o distúrbio por volta dos 9 anos de idade.Pesquisa, da Universidade de Connecticut,feita com 58 crianças, de 9 aos 18 anos, mostrou que, dessas crianças, 20 haviam sido corretamente diagnosticadas como autistas, mas anos mais tarde não eram mais consideradas portadoras do distúrbio.Especialistas garantem quea pesquisa, apresentada nesta segunda-feira, em conferência, em Chicago, é um importante avanço.Estudos anteriores haviam indicado que de 3% a 25% dos autistas se recuperam. Os novos dados indicam que a taxa é de 10% a 20%. Mas, mesmo depois de muita terapia, a maioria das crianças autistas permanecem autistas. A recuperação não é uma expectativa realista para a maioria dos jovens, mas os pais devem saber que isso pode acontecer.Fonte:http://www.correiodobrasil.com.br/noticia.asp?c=152606

Cérebro da mulher muda quando ela se torna mãe

O amor incondicional da mãe pelo filho desperta a curiosidade. A força destes sentimentos, inclusive, motivou os pesquisadores a descobrir o que está envolvido na relação: segundo eles, após se tornar o mãe, a mulher apresenta alterações no cérebro, que se adapta para viver um novo tipo de amor.De acordo com o neurologista Ricardo Teixeira, acontece um deslocamento do eixo de preocupações de uma mulher, fazendo que suas próprias necessidades passem a se concentrar também no cuidado e bem-estar dos filhos. "O cérebro materno é, por definição, um modelo espetacular do fenômeno de neuroplasticidade, que é a capacidade do cérebro em criar novas conexões em resposta a um estímulo", explica o especialista.
O especialista explica que essa transformação acontece devido a estímulos próprios da maternidade, como a amamentação. "Pesquisas apontam que não só as alterações hormonais, mas também o ambiente rico em estímulos associados à maternidade, com múltiplas tarefas, sons e cheir…

Estudo indica que algumas crianças podem deixar o autismo

Taxa de recuperação, depois de anos de terapia, seria de 10% a 20%; melhora ocorreria por volta dos 9 anos Um estudo realizado em pequena escala sugere que pelo menos 10% das crianças com autismo superam o distúrbio por volta dos 9 anos de idade - a maioria, depois de anos de intensa terapia comportamental. Céticos questionam o fenômeno, mas a psicóloga Deborah Fein, da Universidade de Connecticut, é um dos cientistas convencidos de que o fenômeno é real.Ela apresentou a pesquisa, feita com 58 crianças, nesta semana numa conferência sobre autismo realizada em Chicago (EUA). Dessas crianças, 20 haviam, segundo análise rigorosa, sido corretamente diagnosticadas como autistas, mas anos mais tarde não eram mais consideradas portadoras do distúrbio.Entre elas estava Leo Lytel, um menino que não olhava os outros no olhos, repetia as palavras que lhe eram ditas e girava em círculos - todos sintomas clássicos do autismo. Agora, ele é um sociável aluno da terceira série. O estudo, financiado p…

Meditação pode aumentar o volume do cérebro

Estudo indica que a meditação pode ajudar a ganhar massa cinzenta Se fazemos exercícios e musculação para ganhar massa muscular e ter ossos mais fortes, o que podemos fazer para “fortalecer” o cérebro? Um estudo recente da Universidade da Califórnia, nos EUA, indica que a meditação pode ajudar a ganhar massa cinzenta, aumentando algumas regiões do cérebro.Usando ressonância magnética de alta resolução para avaliar o cérebro de 44 pessoas, metade dos quais praticavam a meditação a mais de cinco anos, os pesquisadores observaram que os “meditadores” tinham significativamente maiores volumes no hipocampo, em áreas do córtex orbitofrontal, no tálamo e no giro temporal inferior – regiões envolvidas na regulação das emoções. Os autores destacam que esses resultados podem ajudar a entender por que pessoas que meditam tendem a ter maior capacidade de “cultivar emoções positivas, manter a estabilidade emocional e ter comportamentos conscientes”. Porém mais estudos são necessários para desvenda…

Estresse pode detonar comportamento compulsivo, afirma psicanalista

O estresse, o desemprego ou a perda de uma pessoa querida podem detonar o comportamento compulsivo, explica o psicanalista Elias Abdalla-Filho, da Federação Brasileira de Psicanálise. Na semana passada, o terapeuta foi um dos coordenadores do Congresso Brasileiro de Psicanálise, que entre os temas abordados discutiu o aumento das compulsões nos grandes centros urbanos. Em entrevista ao site do Globo, o especialista esclarece os pontos principais do distúrbio que atinge 3% da população. O que caracteriza uma compulsão e quais as mais comuns?Uma compulsão é caracterizada basicamente por um comportamento repetitivo que foge ao controle de seu portador e que, se impedido, provoca alto nível de ansiedade. A compulsão não pode ser confundida com a obsessão, que se refere a pensamentos repetitivos. As compulsões mais comuns estão ligadas ao consumo de álcool e drogas (lícitas ou ilícitas), alimentos, compras, sexo, jogo e trabalho. Quem sofre mais de compulsões?Depende do tipo de compulsão. …

Sólo tres de cada diez casos de autismo se diagnostican a tiempo

El trastorno comienza a dar síntomas a los dos años pero la confirmación de la patología únicamente se produce a esa edad en el 30% de los pacientes, con lo que se pierde tiempo para la atención terapéuticaEn la Asociación de Autistas se incluye atención psicológica y logopedia. En la mayoría de las patologías se sabe que un diagnóstico a tiempo y, si cabe, precoz, evita secuelas y favorece el tratamiento. Y en el autismo, un trastorno del desarrollo calificado como la patología mental más común en la infancia, es, si cabe, más importante. En cambio, los datos no responden a esta necesidad de tratamiento y sólo el 30 o 40% de los casos de autismo se diagnostica a tiempo, es decir, a los dos años de edad. En la actualidad, se están diagnosticando muchos a los tres o tres años y medio, lo que hace "que se pierda un tiempo fundamental para la aplicación de terapias", asegura una de las psicólogas de la Asociación Autismo Granada, Andrea Fernández.La característica del autismo e…

Vincent Van Gogh encontró la muerte donde buscaba la cura

El pintor holandés más conocido de todos los tiempos vivió sus últimos días en Auvers-sur-Oise. El pueblo francés que lo acogió para superar su epilepsia le inspiró 70 cuadros, antes de pegarse un tiro son su revólver.Cuando verdea el cereal y brota la primavera en la planicie de Vexin, una meseta calcárea bañada por tres ríos –el Sena, el Oise y el Epte–, es un buen momento para acercarse a Auvers-sur-Oise, una de las cunas del impresionismo. En esta pequeña población rural de 7.000 habitantes, asentada junto al Oise, que desemboca cerca de allí en uno de los meandros del Sena, vivió sus últimos 70 días el pintor holandés Vincent van Gogh.La placidez verde de los paisajes y el navegar silencioso de las peniches recuerdan aún ahora la época de los pintores impresionistas. El paisajista Charles-François Daubigny, que se instaló en Auvers en 1860, plasmaba el pueblo desde su barcaza amarrada en el Oise y Vincent van Gogh desató en sus últimos días una furia creativa que le llevó a pinta…

One in 10 children with autism overcome condition by age nine, study finds

At least one in 10 children with autism overcome the disorder by the age of nine, according to new research. Some of the children in the study, which is still ongoing, were diagnosed by an autism specialist before the age of five but no longer meet the diagnostic criteria for autism.The findings, presented by University of Connecticut psychology professor Deborah Fein, suggest the children recovered after undergoing years of intensive behavioural therapy.'Happy hour' gene helps some hold their drink better than others, scientists discoverThe study, funded by the National Institute of Mental Health and presented at an autism conference in Chicago, involved children aged nine to 18.Geraldine Dawson, chief science officer of the advocacy group Autism Speaks, called the research a breakthrough. "Even though a number of us out in the clinical field have seen kids who appear to recover, it has never been documented as thoroughly as Fein's work," Miss Dawson said. She a…

Lack of Food Variety Puts Kids with Autism at Risk for Poor Nutrition

The strong preference kids with autism have for certain foods places them at risk for nutritional deficiencies because their diets lack sufficient variety, according to research from Cincinnati Children’s Hospital Medical Center at this year’s Pediatric Academic Societies meeting in Baltimore.Presenting their findings May 4, the researchers said screening children for the amount of variety of food in their diets may be a good clinical marker to predict which children might be at risk for nutrition problems. Kids with low food variety scores who are at risk could then be referred to dieticians or therapists to help them expand food choices and improve nutrition, said Michelle Zimmer, M.D., lead investigator and a pediatrician in the division of Developmental and Behavioral Pediatrics at Cincinnati Children’s. The study is one of two presented by Dr. Zimmer and colleagues this year at PAS that deal with autism, the second one showing that the red blood cells of children with autism have…

Drinking, Depression Put Teens At Risk Of Suicide

A new study indicates that teens who drink when they are feeling depressed put themselves at an increased risk of attempting suicide, regardless of whether or not they had previously suffered from suicidal thoughts.The researchers who published their report in the Journal of Adolescent Health this week say that this highlights the need for parents and schools to step-up their alcohol screening techniques as drinking may be a signature forewarning of suicidal tendencies.The study examined 32,000 U.S. adolescents between grades 7 and 12 and found that drinking alcohol while feeling depressed was associated with a nearly 70 percent increase in students who reported having suicidal thoughts, according to Dr. Elizabeth Schilling of the University of Connecticut Health Care Center in East Hartford.Among those teenagers who reportedly had no prior history of suicidal thoughts, “drinking while down was associated with a 3-fold increase in risk,” said Schilling.Schilling’s group examined the r…

As I love them, so my dad loved me

Leah Hardy and her children, Henry and Cecily. For years, Leah Hardy could not forgive her obsessive, overbearing father for the cruel way he treated her mother. But tragedy would give her a fresh insight into the man she once despisedI adored my father when I was small. He was, to me, an impossibly glamorous figure. A musician, he was dark, green-eyed and handsome. He would travel abroad and bring me thrillingly mad presents. I was the only child in my suburban 70s primary school who owned a genuine Afghan coat, for example. I can still remember how it looked, incongruously pegged up between the anoraks and Peter Pan collars, and how I glowed with pride to wear it. At the fair, he'd stroll up to the shooting gallery, ask me what prize I'd like to win, and I'd just know for certain that my dad would get the right score, and I'd walk away with that tiny doll's-house coffee pot or the giant teddy I yearned for. But my father was also a very difficult man. These days …

De onde vem a inteligência

Os cientistas começam a desvendar os fatores que tornam o cérebro mais eficiente. O que podemos esperar dessas descobertasO ENIGMA DO GÊNIO Amostras do cérebro do físico Albert Einstein conservadas para pesquisa. Há 54 anos, os cientistas tentam decifrar as origens de uma mente brilhante O americano Thomas Harvey disse ter se sentido sortudo ao deparar com o corpo do físico Albert Einstein em cima da mesa de autópsias do Hospital de Princeton, nos Estados Unidos. Não se tratava apenas da empolgação de um patologista – esses detetives da medicina que a cada nova necropsia procuram pelas causas de uma morte. Naquela manhã de 18 de abril de 1955, sete horas depois de Einstein morrer, aos 76 anos, em decorrência de um aneurisma abdominal, Harvey vislumbrou a possibilidade de uma descoberta histórica. Sem a autorização em vida de Einstein ou de sua família, ele abriu o crânio de seu “paciente” mais ilustre. Sugou o liquor do cérebro pelo nariz e com uma das mãos envolveu o bolo de massa ci…

A nova onda dos remédios para o cérebro

Mais e mais pessoas estão tomando drogas para aumentar a concentração e tentar ficar mais inteligentes. Que consequências isso pode ter?Maurício não é um workaholic. Engenheiro de 40 anos, gerente de uma seguradora, ele acredita que a esta altura da vida tem direito a aproveitar suas horas livres nas baladas, viagens, leituras, esportes e namoros. É por isso que ele toma Ritalina, um remédio indicado para portadores de síndrome de deficit de atenção (TDAH). Maurício não sofre de deficit de atenção. Mas diz que, quando toma a droga, sua capacidade de concentração aumenta e ele trabalha seis horas sem intervalos. “Sou chefe de 40 funcionários e preciso funcionar a qualquer custo.” Maurício (o nome é fictício, para proteger sua identidade) diz tomar Ritalina apenas uma vez por semana, quando seus prazos para a entrega de relatórios apertam. Ele afirma que a droga o ajuda a encarar planilhas recheadas de números, elaborar relatórios com rapidez e falar com desinibição em reuniões. “Como m…